Arco do Triunfo,

4 dias em Paris e uma saudade sem fim.

18:49:00 Fernanda Gumz 0 Comments

Se eu pudesse escolher um lugar para visitar, mais um vez, esse lugar seria Paris com toda certeza. 
Paris tem uma energia contagiante e inexplicável. Os franceses nem tanto, mas falamos sobre eles mais para frente. 

Chegamos em Paris no dia 12/06/2015 por volta do meio dia. Fizemos Couchsurfing na casa de um Mineirinho pra lá de simpático e gente booa. Nunca tinha feito couchsurfing antes, mas confesso que comecei com o pé direito. A casa dele se localiza na chamada Zona 1. Calma que eu explico: o transporte de Paris é dividido em Zonas 1, 2, 3, 4 e 5, em cada Zona é cobrada uma tarifa diferente no transporte, que se divide em metrô, ônibus, tram, RER e aquele ônibus do tipo citytour (que faz o itinerário pelos principais pontos turísticos da cidade). 

A zona 1 é o centro principal de Paris, a cidade em si. É na zona 1 que está 99% dos pontos turísticos, como a Torre Eiffel, Arco do Triunfo e Museu do Louvre.
A zona 2 é na região onde está o Castelo de Vincennes e o Stade de France.
A zona 3 é a região de La Defense.
A zona 4 é onde se encontra o Chateau de Versailles e o Aeroporto Orly.
A zona 5 é onde está a Eurodisney.
Já o Aeroporto Charles de Gaulle está na zona 5



Portanto ficar na Zona 1 foi muito bom para nós pois ficava mais perto da maioria dos lugares que queríamos visitar. 

Dia 1: No mesmo dia em que chegamos fomos andar e conhecer uma parte de Paris. 
Nossa primeira parada foiJardins du Luxembourg. Sendo o maior parque de Paris nos deu uma boa caminhada para a história e um bom cansaço nas pernas já no primeiro dia de tour. O parque tem um pequenos lagos destinados ao lazer infantil. Super bonitinho ver as crianças brincando com barquinhos no lago. 











Próxima parada: Pantheon
Após uma bela de uma caminhada depois do parque, vendo souvenirs e comendo crepe, chegamos ao Pantheon, que situa-se no monte de Santa Genoveva. Em volta dele há alguns edifícios de suma importância, tais como a biblioteca de Santa Genoveva, a Universidade de Paris-I, a Igreja de Saint-Étienne-du-Mont e por aí vai... Como poderão ver na imagens, o Pantheon estava em reforma, e portanto não ficamos muito tempo por lá não. Seguindo em frente após alguns minutos de apreciação e fotos. 




Depois dessa passadinha rápida no Pantheon fomos para a Catedral de Notre-Dame. Descansamos um pouquinho, batemos fotos e entramos para conhecer como é lá dentro. Não tive problemas nenhum com o shorts ou com a regata para entrar lá, vi também outras mulheres com ombros e pernas a mostra que entraram tranquilo, então acho que é meio que um mito esse negócio de ter que entrar na catedral toda coberta. 













Depois da catedral fomos em uma ponte ali por perto porque a ponte dos cadeados (Pont dês Arts) oficial estava fechada, pois estão tirando os cadeados dela, já que o governo teme que o peso dos mesmos coloquem a estrutura da ponte em risco. De qualquer forma, colocar cadeados em pontes é muito comum, diz a lenda que se colocar um cadeado com o nome seu e do seu amor e prender na ponte, o amor durará para sempre. Será? Bom não sei mas vai que né? Enfim, eu achando que íamos lá só para dar uma olhada bater umas fotos e done, mas não foi somente isso, o Rod fez uma supresa para variar, me mostrando o cadeado com os nossos nomes que ele já tinha garantido para aquele dia, lembrando que dia 12/06 é dia dos namorados aqui no Brasil, então foi meio que uma supresa de dia dos namorados, e que surpresa hein? Vamos combinar né?! ;)








Dia 2: Chegou o dia do tão famoso Museu do Louvre mas tem um trick (truque) nessa ida ao museu que olha, salvou nossas vidas. Quando você descer na estação de metrô do museu (se você for de metrô) saiba que há uma entrada que da acesso ao museu ali por baixo mesmo, e você vai cortar uma fila danada de boa, quando nós fomos a fila não durou 30 minutos, já lá por fora estava uma fila muito de grande, isso a gente viu pelas janelinhas no museu (rs). "Ah Fer mas a gente quer bater fotos na frente do museu, tem como se a gente for por baixo?" Claro que sim, saia do museu lá por cima e bata suas fotos tranquilamente ;)






















































Depois de apreciarmos as lindas obras de um dos museus mais famosos do mundo fomos em direção ao Arco do Triunfo, conhecido por lá como Arc de Triomphe, acontece que a gente foi andando pela famosa Av. Champs Élysées, mas vai por mim, é uma longa caminhada, na minha opinião vale sim muito a pena, pois no decorrer do caminhos há parques, lagos e monumentos lindos para serem apreciados, mas se você estiver muito cansado da para ir de metrô. Nós subimos no Arco do Triunfo, e na minha valeu muito a pena, de praxe levamos a vista da torre Eiffel para as fotos. Decidimos então não subir na torre Eiffel.






A Avenida
O Arco















Sacre Cour é uma das mais belas Igrejas de Paris. Para chegar até ela vai alguns degraus de subida, lá dentro é muito bonito, mas não pode bater foto, também não tive problema com o shorts e a regata ;)











Chegou a hora, do ponto turistico, talvez, mais esperado pelas pessoas que a Paris vão. A Torre Eifel ou então, La Tour Eiffel. Tão mais linda pessoalmente do que em fotos/filmes. Não parece tão grande, mas quanto mais perto chegamos, percebemos o quão enorme ela é. Romântica, poderosa, lá está ela, a espera dos milhares turistas que viajam km de distância só para prestigiar a sua beleza. Um dos pontos turísticos mais almejado pela população mundial. E eu só posso dizer uma coisa, sentimento incrível, inimaginável, indescritível, só estando lá para saber. Quero levar o que senti quando vi a Torre Eifel comigo para sempre, porque traz paz, traz esperança, e uma energia inexplicável.

























Dia 3: Em Paris estava acontecendo uma exposição do Harry Potter e nós aproveitamos o terceiro dia para ir conhecer. O Rod pagou em torno de 20 euros cada um. Na exposição não tinha nada de mais, achei que não valeu o preço, era super pequena. Naquele dia, eu acabei passando mal, fiquei ruim da bexiga, e precisei voltar para casa me cuida, beber água, muita água e repousar. O Rod saiu com o Jeff, o menino que nos abrigou em Paris, lembram dele? Falei dele lá no comecinho do post. Achei injusto ele perder o dia e ficar em casa por causa de mim, então falei para ele sair turistar e me mostrar as fotos depois. A noite saímos comer em um local, pouco conhecido por turistas, mas maravilhoso chamado Chez Gladines, comemos um comida típica de lá, muito gostosa, o famoso Escalope deles. *-*

















































Dia 4: Walt Disney World que na minha opinião o que mais para não dizer só valeu a pena foi o show final, o famoso show de fogos, o qual eles fecham o dia, as 11h da noite. Achei o parque bem infantil na verdade, nada muito radical, e para quem foi no Kings Dominion na estadia nos EUA, Disney foi bem fraco, sim eu sei, nada a ver comparar um com o outro, a verdade é que eu não sabia muito o que esperar da Disney de Paris. me digam uma coisa, na Florida é boring assim também? Saibam que da Disney lá, dá para fazer os dois parques tranquilamente. 






























Dia 5 O último dia em Paris, pegávamos o Avião para Malta a tarde, 5 horas. Precisávamos chegar no aeroporto com pelo menos 2h de antecedência. Fomos então passar a manhã e fazer um picnic no Palácio de Versalles. O lugar é lindo, mas não entramos no Palácio, apenas no Jardim, o que, na minha opnião, já valeu bastante a pena. O lugar é lindo, e é engraçado pensar nas pessoas que morar lá, e que tinha um jardim tão lindo a grande. Para entrar No Palácio era 18 euros por pessoa, no jardim 9 euros por pessoa. Ter o ingresso para o Palácio não garantia sua entrada no jardim, ou seja, era preciso comprar os dois, se os dois você quisesse ver.






















Essa foi a minha estadia em Paris, da hora né? Curiosos para saber como foi Malta?
Ah, e sobre os franceses, eu falo em vídeo para vocês... ;)


You Might Also Like

0 comentários: