Europe,

Itália - Veneza, Florença, Pisa e Roma

17:00:00 Fernanda Gumz 0 Comments

Chegar na Itália foi meio estranho, porque sabe quando você imagina uma cena, e chegando lá é bem outra? Foi mais ou menos isso que aconteceu. Primeiro que começamos a viagem para lá com um baita susto. Descemos do avião era mais ou menos umas 9:30 da manhã e fomos para o transfer, o Rodolpho tinha perdido o celular dele no banheiro e retornou para recuperar, ainda bem que conseguiu. Pegamos o tranfer era umas 10h e levaria uma hora mais ou menos para chegar no ponto onde íamos nos hospedar em Mestre, um camping da hora chamado Jolly Camping. Mas para o nosso azar ou não esquecemos a nossa bolsa menor, a que carregávamos o que era mais importante, tipo câmeras, computadores, minha carteira etc. Só tínhamos os passaportes, os celulares, e as bolsas com as roupas em mãos e isso acabou com nosso tour a tarde. Falamos com o cara da companhia de ônibus e pedimos para ele tentar localizar a bolsa, ele disse que estava com o motorista e que ele levaria para lá somente no final da tarde, e então ficou de buscarmos essa bolsa lá por 5h da tarde. Eu fiquei muito preocupada, pois não sabia se tudo que estava na bolsa voltaria, outra coisa era que não tinha a câmera para bater as fotos de Veneza, pois era lá que íamos passar a tarde. Fomos então, depois de marcar de buscar a bolsa as 5 da tarde, para o Camping deixar as coisas, e tentar turistar o restinho de tempo que ainda tínhamos. Ao chegar em Veneza, eu pelo menos, já estava muito cansada. andamos bastante por lá, mas não pegamos um passeio nas famosas Gôndolas pois estava o olho da cara, 80 euros, e não tínhamos grana o suficiente. Depois de passear um pouco e termos vistos a ponte Rialto e a praça São Marco voltamos para o terminal de ônibus buscar ou não a nossas valiosas coisas. Chegando lá e o coração a mil, sem saber se a bolsa estava intacta ou não, corremos para o guichê e, graças a Deus, achamos a bolsa com tudo dentro tudo bem certinho. Voltamos para o Camping para descansar porque o dia foi bem exaustivo, fisicamente e mentalmente. As fotos foram tiradas com o meu celular.























No dia seguinte fomos para Florença. E lá ficamos em um hostel horrível chamado Santa Monaca porém bem localizado. Cara é sério o hostel fedia, era uma barulheira dia e noite bateção de porta, e barulho da rua na nossa janela, não dava para descansar, sabe quando você pega num sono e de repente alguém bate a porta com tudo e você acorda assustado? Então. Cedo estávamos com a sensação de não termos dormido nada. E não era para menos né, nunca vi um hostel tão barulheto, e o Rodolpho disse o mesmo, e olha que ele passou por váááários hostels. No primeiro dia nós fomos na 

Piazzale Michelangelo ver  o por do sol, que quase não foi visto pois estava meio que para chuva e as

nuvens cobriram um pouco. Tem uma escadaria e tanto até chegar lá, o que pareceu ainda mais escadaria pois eu estava muito cansada. Passamos por alguns lugares até chegarmos nessa praça. Vejam o caminhos que pegamos na fotos logo abaixo. 
























No nosso terceiro dia fomos para Pisa, na praça dos Milagres. Fizemos um picnic lá, passamos praticamente o dia e voltamos para Florença. Fomos de trem mesmo, Italo, foi um belo de um bate e volta. Eu adorei conhecer Pisa, achei a praça linda. Lá nos aconteceu uma fato que me decepcionou bastante, um dos vendedores foi extremamente grosseiro conosco, existem alguns lugares que passamos por isso, mas igual a essa vez não teve igual. 
Estávamos eu e o Rod passeando nas barraquinhas de souvenir e eu estava escolhendo os meus, o Rod foi mas rápido, mas eu sempre fui de gastar bastante tempo escolhendo coisas, nessa minha demora o vendedor perguntou algumas vezes se eu já estava pronta,  e eu sempre respondendo que continuava escolhendo o que eu queria levar, lá pela quinta vez que ele reclamou ele falou "vamos rápido" eu olhei bem para a cara dele e perguntei: "por que eu preciso ser rápida?" Ele resmungou umas coisas que eu não entendi, e foi então que eu peguei e coloquei o que havia selecionado de volta no lugar e disse "ok, não comprarei aqui então, uma vez que eu não posso escolher com calma o que eu vou pagar por". O vendedor ficou com cara de babaca olhando para mim e para o Rod, que  por sua vez também devolveu tudo, e ainda se achou no direito de ficar p da vida com a gente. Sério foi ridículo. Bom fora esse fato, o passeio foi muito bom e agradável. 



















Nossa última parada foi Roma, mas antes de deixar registrado Roma, eu só queria dizer que lá foi um lugar horrível de transporte público, tanto quanto Malta, os ônibus demoravam, e o metro sempre cheio, era complicado pega, era um empurra para lá, um empurra para cá, olha, foi bem difícil. No nosso último dia em Roma pegamos o hop on hop off porque estávamos, mais um vez, perdendo muito tempo esperando transporte até os locais que queríamos passar. Bom Roma o que falar de lá, primeiramente ficamos em um Hotel chamado Holliday and Rome o hotel era da hora e super chique, tanto é que é bem caro, só que nós pegamos uma promoção danada de boa que nos deu um desconto pra lá de gordo, e pagamos praticamente o mesmo preço que pagamos nos anteriores então foi bem de boa e valeu muito a pena. No ladinho desse hotel em uma "pizzaria/lanchonete" super Barata também, para vocês terem uma noção pagamos 4 euros eu um frango recheado, mais batata cozida, além disso ele servem uma pizza muito boa, que também é bem barata, e o pessoal lá é bem simpático. A umas duas quadras dessa lanchoneteria (rs) tem uma cafeteria também muito bom e barata, os pessoal lá não fala inglês, mas eles super se esforçam para te entender e te servir cm bastante simpatia. 
Nos pontos turísticos tipo a praça de São Pedro, Basílica e o museu do Vaticano, tem que tomar bastante cuidado com uns caras que tentam te vender para cortar fila, eles tentam te passar a perna de tudo quanto é jeito, por exemplo, quando chegamos na Basílica e veio um cara querendo vender para a gente cortar a fila e ele disse que a fila para entrar estava durando 3horas. Mentira! A gente não comprou porque estava muito caro, e quando fomos para  fila, ela não deve ter durado 30 minutos. Cubram ombros e pernas, do contrário eles não te deixam entrar.
A mesma coisa foi para entrar no museu do Vaticano, os caras tentam te vender e falam que a fila dura horas e horas mas não é bem assim. Nós esperemos duas horas na fila, pode parecer muito, mas não é. E outra, nesse museu tem a famosa pintura do Michelangelo, para entrar nessa parte do museu precisa cobrir os ombros, mas só nessa ala mesmo.
Outra coisa sobre esse museu, não tem estrutura para suportar o número de turistas que vão para lá. É tanta gente que tem que andar no fluxo, não dá para você ver o que você quer ver, eh ir andando e se ver viu se não paciência. Tipo isso ----->

Entrada do Hotel que fiquemos




















No dia seguinte foi dia do ponto turístico mais esperado por mim da Itália. O Coliseu e o Foro Romano que ficam bem pertinho um do outro, e o ticket dos dois é vendido em um só. Eu adoro lugares que tem história para contar, eu adoro visitar e ficar pensando em como as pessoas viviam por lá, o que faziam, como eram e assim por diante. Sendo utilizado durante, mais ou menos, 400 anos. Deixou de ser utilizado como forma de entretenimento no início da idade média, passando a ser usado, mais tarde, como oficina, habitação, pedreira, templo cristão etc... Sendo um símbolo do Império Romano o Coliseu foi eleito uma das setes maravilhas do mundo moderno em 7 de julho de 2007.
O Fórum Romano foi durante séculos o centro da vida pública de Roma, cerimonias triunfais, eleições, discursos públicos, confrontos entre gladiadores, processos criminais, assuntos comerciais aconteciam no local.





















































Nossa próxima e última parada por assim dizer foi a Piazza Venezia, a qual é uma referência à cidade de Veneza, em Italiano Venezia. É uma homenagem ao Cardeal Veneziano Pietro Barbo quem construiu o Palácio Veneza, que era a embaixada da República de Veneza.
Foi lá também que eu comecei a passar mal de tão calor que estava, e acabada com a longa viagem, querendo ou não eu estava exausta e não descasava o suficiente. A viagem estava precisando acabar mesmo, eu sentei descansei, o Rod buscou água para mim e para, pelo menos, conseguir ir até ao ponto do ônibus em que estávamos para ir embora. Tentamos ir na Fonte de Trevia mas estava em reforma então não deu para ver nada, a fonte parece ser linda quando funcionando. No outro dia voltemos para Budapest. Semana que vem eu conto sobre lá. Espero que eu consiga né porque minha vida está tão corrida, quem acompanha sabe que esse post era para ter saído semana passada.
Agora fiquem com as fotos.












 A fonte que eu disse que estava em reforma... ;//


Um beijo ;*
;*

You Might Also Like

0 comentários: